segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Liderança no mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo)


Às organizações de hoje surgem desafios estratégicos perante a imprevisibilidade, a complexidade, a ambiguidade e a dinâmica que a velocidade da mudança introduz. Para manter a sua competitividade a uma escala global, as organizações começaram a perceber que será através das pessoas que podem verdadeiramente fazer a diferença. Organizações que atraem, têm e retém pessoas dinâmicas, criativas, resilientes e empreendedoras podem fazer a diferença. O segredo estará precisamente em compreender quais as estratégias que irão atrair, ter e manter níveis de satisfação e desempenho individuais que permitam que a organização se destaque.  Este segredo está em grande parte na capacidade das equipas e dos seus managers manterem elevados níveis de motivação e visão, para além de proporcionarem aprendizagens contínua e continuada.

O coaching surge como o estilo de liderança destas novas organizações, às quais já não é dado o devido tempo para formações convencionais. A aplicação das aprendizagens deve ser, hoje, imediata, e a sua supervisão deve ser continuada. A criatividade deve ser estimulada de forma a proporcionar inovação. E os conhecimentos adquiridos ao longo da vida não podem ser menosprezados, mas sim contextualizados.

Este estilo de liderança requer comportamentos dirigidos a ações e resultados, proporcionados pela aprendizagem continuada, pela criatividade e pelos conhecimentos contextualizados. Este estilo de liderança, muito mais funcional que intrínseco,  pode ser aprendido e desenvolvido. E os comportamentos necessários a este estilo de liderança podem ser medidos e aperfeiçoados.

As organizações do mundo VUCA devem questionar-se se têm a liderança exigida pelas características desta nova realidade, refletindo sobre:
  • Na última vez que avaliei os meus líderes medi a presença de um estilo tipo coaching?
  • Como posso conhecer e desenvolver os meus líderes com vista a promover uma cultura de dinamismo, criatividade, resiliência e pro-atividade?


As novas gerações vão exigir conhecer os propósitos e visão dos projetos e negócios, vão motivar-se pelo constante aperfeiçoamento e dinamismo em projetos, e vão necessitar de tudo isto no aqui e no agora. Os seus líderes deverão estar munidos de uma grande capacidade de comunicação - honesta e direta - em que as gestão de expetativas e a capacidade de dar e receber feedback são comportamentos chave. Este líder deve ser desafiador ao mesmo tempo que promove facilitação de aprendizagem em parte através do exemplo, e ao invés de dar resposta, deverá estar apto a promover reflexão na equipa através do questionamento.

A nova realidade organizacional que se quer competitiva será mais focada no trabalho desenvolvido por equipas de elevado potencial, nas quais a inter-relação, muitas vezes multicultural e à distância, é o fator diferenciador. A liderança do mundo VUCA deve, então, estar preparada para agir em ambientes multiculturais e tecnológicos, onde as competências relacionais de adaptabilidade e de virtualidade são fundamentais.


Está a sua organização preparada para este estilo de liderança?

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.